quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Qual o doce mais doce?

As bruxas conversavam.
-Experimenta o meu veneno.
Pingou uma gotinha na língua.
-É doce...não pode ser veneno.
- Ah é?!Então, experimenta beber perfume de flores para ver se a doçura não mata.
-Mata nada. Oque mata é o alcool... e não a essência.
-Então come trinta bombons pra ver se não morre...
-Não de doçura...
-Pois, quer apostar que te mato com doçura?
-Duvido. Duvido. Duviiii...
-Ei, não repete três vezes que você sabe que quando fazemos feitiço três vezes é a conta certa. E não estou disposta a ter uma dúvida passeando aqui pela sala... dá um trabalhão depois. É pior do que dragão.
-Mas então... prova que me mata com doçura.
-Ah! Agora fiquei com preguiça...depois.
-Tá vendo! Não pode! Não pode! Não pooo...
-Eiiii.... segura essa boca! Que mania de atrair complicações! Já te disse repitiu 3 vezes e pumba... lá vem a impossiblidade... aquele bicho gigante... pra se livrar depois da um trabalhooo
-Ai, você é muito chata, viu? Nunca vi!
-Viu sim! Aqui óó! Mas tá certo então... te ensino o meu veneno doce.
A bruxa abre um frasquinho e joga no caldeirão. A outra bruxa observa atenta.
-Pois então... toma do meu veneno.
-Mas... você disse que mata... ai eu vou acabar morrendo se for verdade... não quero pagar um preço tao alto pela minha descrença. Que medo, que medo, que meeee...
-Psiuuuuuu... não repete! Esse tal de medo é muito carente... ele começa pequenininho e de repente você nem mais sai de casa para ficar cuidando dele. Prometo que se você morrer de doçura eu te trago a vida de novo.
-Hum, tá certo então. Mas promete, promete, promete???
-Prometo, prometo, prometo. Pronto, não tem volta. Tá ali o compromisso já sentado no sofá!
Gut Gut Gut
-Ahhhh... me sinto tão bem com esse seu veneno! Nem parece veneno. Me sinto tãoooo....doce!
-Te dou três dias e a doçura acaba contigo.
-Mas como? Não pode ser! É tão bom ser doce... até Merlin o gato veio me fazer carinho atraido pela minha doçura.
-Doce ilusão.
-Leite, gato Merlin? Claro que eu providêncio leite para você, novelo de lã,sim claro!Quer carinho? Sim sim!
Três dias depois.
-Compromisso. Chama a bruxa para me salvar. Estou me sentindo tão fraca,cansada...estou tão enjoada que parece que comi uma barra inteira de chocolate branco sozinha.
-Pessoas doces acreditam em promessas... Promessas e compromissos não são sempre cumpridos. Estou tão ocupado agora com outras coisas, bruxa doce, que você ficará para segundo plano.
-Mas... em voce eu acreditei Sr Compromisso, em você depositei a minha vida. Se você não chamar a bruxa eu morro de doçura. Não aguento mais. Me sinto mais doce e enjoada que chocolate quente.
-Olha, vou te dar uma dica bruxa doce. Seja doce... mas nao seja excessivamente doce.Olha... não vou poder te ajudar não bruxa doce...estou cheio de outros compromissos inadiaveis.
-Tudo bem Sr compromisso, eu entendo o seu lado... Estou agradecida pelo conselho... espero hoje ainda ter vida para por em prática... Bruxa, Bruxa, Bruxaaa
-Ai Meus Deuses! Quase não da tempo de me enrolar na toalha.
-Desculpe, amiga bruxa, mas preciso de você.
-Ah! Bruxa doce! Mas você é muito da enjoada, viu?! Não vê que está me atrapalhando! Estou lá, animada na minha cantoria no banheiro e voce me chama porque tá morrendo de doçura.... Ah! Me poupe viu??
-Mas Dona Bruxa, me desculpe o incoviniente...mas só posso contar com você...
-Comigooo??? Nao nao na...ops... não quero o não aqui em casa hoje... ele demora muito pra se tocar da hora de virar sim...
-Tudo bem , Dona Bruxa... morrerei de doçura... aqui quietinha, resignada no meu canto, sem ninguém nem notar. Não quero incomodar mais ninguem... Desculpem por existir...
A outra bruxa desapareceu e a bruxa doce começou a chorar. Suas lágrimas eram tão, tão, tão doces que as formigas começaram a devora-la e ela sem coragem de reagir foi feita de almoço.
-Ai ai ai... Onde será que anda a bruxa doce?? Sai dai Gato Merlin! Ossos??? Será??... Tomara que ainda dê tempo. Preciso tanto da companhia da bruxa... doce ou não... não suporto viver só nesse casa.
Então a bruxa recolheu os ossos, os limpou, removendo o resto de doçura e colocou um por um no caldeirão. Completou o caldeirão com muitas batatas doces e...
-Ai, que caldeirão pequeno!!! Me tira daquiiiiii...
-Bruxinha! Queria amiga bruxaaa... que bom ter voce de volta!!
-Doce de batata doce? Há quanto tempo não vejo isso aqui em casa! Que forma mais inusitada de quebrar um feitiço!
-Pois é... não sabia como fazer...então achei que as batatas doces, do doce mais doce, talvez neutralizassem sua doçura! Acho que funcionou! Mas então, como foi ser doce?
-Foi assim... docemente mortal! Mas sabe bruxa... o que mata não é a doçura não, não é a essência que mata... é o alcool... e no final arsênico parece açúcar. Vai um cafézinho?

3 comentários:

Daniel Farias disse...

:o
zoooorra... 2

CiCO disse...

heuheuehue! adoro... mas adoro mais ainda jeff se passar de postar na terça e ficar com cara de pastel! =)

a proposito, quem colocou verificação de codigo de letrinhas e tirou a possibilidade de postar com apelido deveria recolocar, hein?

Fernanda Félix disse...

logo de início já sabia quem tinha escrito esse ... =*
te amo prima!